Menu Inicial

Recados Rápidos

28/09/19 - 23:11h    
sergeiJup - 11

03/08/19 - 16:25h    
Grande MitoSan, seja bem vindo ao CT!
o nosso trabalho no RE3 foi absurda e totalmente manual. De qquer forma, será um prazer ajudar no que vc precisar. Crie um tópico no forum CT-Labs ou mande uma msg diretamente pelo formulário de contato aqui no site detalhando as tuas dúvidas, que ajudaremos no que for possível!
Grande abraço!


03/08/19 - 01:29h    
@themitosan - Olá - bom dia/tarde/noite! Me chamo MitoSan. Antes de mais nada, gostaria de mandar os meus parabéns para o trabalho de vocês, afinal de contas o que vocês fizeram para os fãs de RE foi simplesmente fantástico! Gostaria de saber (se assim for possível, é claro) como que vocês conseguiram modificar os arquivos RDT do RE3, visto que infelizmente não há tantas ferramentas de edição disponíveis para ele da mesma forma que existe para o RE2 (como bioscript, bioherb e afins). Eu sei que é a mesma coisa que perguntar para o mágico como que ele faz seus truques mas se não for possível assim eu compreenderei da mesma forma. Desde já agradeço a vossa compreensão! Por: @themitosan

01/08/19 - 15:03h    
Foxlady - Projeto do RW tá lindo demais!

16/07/19 - 15:10h    
Flag - Deixe aqui seu recado rápido para o pessoal da equipe!


Nome/nick:
Recado:

CT-STARS e o pioneirismo

Olá! Você sabia que o CT-STARS foi o primeiro grupo de romhacking a traduzir um jogo da série Resident Evil no Brasil e, provavelmente, no mundo?
Este trabalho teve início em 2003 e segue até hoje trazendo jogos da série em nosso idioma.

Saiba mais...

Principal | Postagens | Índice de textos

O PERFECCIONISMO GERANDO HIATUS

10/09/2021 - 13:05h. • Inserir comentário  

O CT-STARS sempre esteve na vanguarda dos projetos de fãs. Sempre esteve à frente nas ideias e possibilidades do que poderia ser feito dentro dos projetos de romhacking. Quase sempre lançou seus trabalhos antes das enxurradas de modificações - muitas delas que vinham do próprio trabalho do CT, quase sempre sem créditos ou pelo menos menções. Sempre esteve entre os melhores trabalhos de romhacking, dentro do seleto grupo mundial deste tipo de trabalho. Em termos técnicos, poderia até ser dito que os trabalhos do CT eram referência para alguns dos demais mods que viriam em sequencia. Em suma, os trabalhos do CT eram reconhecidos por sua qualidade no tempo em que foram lançados.
Isto gerou uma espécie de sinuca de bico em nossos rumos. "O que fazer para continuar lançando trabalhos, quando o que importa é a velocidade em detrimento da qualidade?"
Obviamente a resposta foi "Não lançar".
Ser perfeccionista é bonito na teoria. Pode passar a imagem de que você trabalha sempre na linha da perfeição, o que não é exatamente verdade. Ser perfeccionista é fazer de forma perfeita o que você sabe fazer, não o que é possível ser feito. O problema nos trabalhos do CT é que a cada novo conhecimento adquirido, uma nova e enorme gama de possibilidades se abre, gerando uma sensação de 'refazer' muito forte. Foi assim com alguns dos projetos mais promissores do CT, a citar RE3 Civilians, RE2: Separate Ways [carinhosamente chamado de Separete Waysda - hã, hã?], RE: Rebecca's Escape, e mais recentemente, RE: Rebecca's Way. Todos estes projetos chegaram a níveis aceitáveis de jogabilidade e história. Principlmente história, já que é um cuidado enorme que sempre é tomado em todos os projetos: Jamais, em hipótese alguma, colocar a história canon em xeque. Ou seja: Não podemos ter furos em nossos roteiros. Todos estes projetos citados acima traziam [ou trazem] uma nova história, retirada de ideias nossas e de vários fãs, sem que interfira na história oficial da Capcom. Isto, por si só, já é uma espécie de perfeccionismo. Porém, o maior empecilho para que estes projetos avancem e sejam finalmente lançados é o detalhismo e perfeição que o CT busca na programação de seus projetos. E um grande exemplo é a imagem acima. Uma pessoa distraída pode nem perceber algumas coisas básicas, como o HUD apresentando dados importantes, avatar do personagem e barra de life em tempo real. Esta tela já mudou cerca de 5 vezes e a cada vez que muda, uma função nova é implementada. Alguns outros detlahes sobre esta imagem podem ser citados:
- O cenário é claro. Porém, as cores são baseadas na paleta variável de Resident Evil 0;
- Ao fundo tem um zumbi que destoa;
- O Brother, nome provisório do personagem que conversa com a Rebecca, nunca mudou de aparência visual, apesar de mudar cerca de 5 vezes no roteiro;
- As folhagens poderiam ser estáticas, mas são dinâmicas. Se movem pelo vento. Depois passaram a se mover também pelos passos dos personagens e, futuramente, se moverão pela presença de zumbis ou outras criaturas, como pouso de corvos;
- O solo tem sombra projetada. Dependendo do horário que a personagem passa por ali, a sombra está em locais diferentes;
- A Floresta da cena, que simboliza o local abaixo do morro onde terminou RE: Zero, tem um rio, já que é um vale. Este rio tem leechs que boiam e seguem a correnteza da água. Ao chegar abaixo da ponte de madeira, que não aparece na imagem, elas param, porque o local se transforma em um lago. Neste lago, restos mortais de cobaias aparecem dinamicamente;
- A Rebecca foi exaustivamente trabalhada para chegar nesta versão, que é uma fase entre a roupa do Zero e a que ela aparece em Rebirth. Com alguns cuidados de que qualquer mudança de versão possa ser explicada pela troca opcional de roupa durante a jornada de Rebecca's Way;
- Os passos da Rebecca refletem o tipo de solo que ela pisa. Ainda não há previsão de geração de pegadas, mas isto já foi estudado com certo afinco;
- As roupas se movem de acordo com o movimento do personagem;
- Corvos sangram em pleno vôo;
- Cerberus deixam rastros de sangue por onde passam;
- Zumbis deixam, de vez em quando, um pedaço de roupa ou carne podre no caminho. Principalmente quando em combate;
- O mapa mostra o objetivo final, porém não mostra missões secundárias, para que a imersão seja quase total;
- Sim, existem missões secundárias;
- Sim, existe um objetivo prinipal, que é chegar na Mansão Spencer;
- Sim, tem muita porradaria no caminho;
- E sim, existe uma explicação em diálogo para que a Rebecca não tenha dito nada ao Chris quando o encontrou.
...
Coloque tudo isto dentro de mentes de pessoas que têm vida pessoal de gente adulta, que trabalha e tem família, para entender o porquê do CT-STARS quase não lançar mais projetos novos e viver em hiatus quase contínuo.
Nossa vontade em lançar projetos novos é grande. Enorme. Gigante!
E nossa frustração por não fazer isso, também é...

Grande abraço, meus amigos!


Flag

NOTA SOBRE CARLOS OLIVEIRA

29/01/2020 - 17:03h. • Inserir comentário  

"Há algumas notas e fotos interessantes fixados na parede. Parecem estar relacionados ao membro da U.B.C.S., Carlos Oliveira."

Continuar lendo...

RESIDENT EVIL 3 - O CLáSSICO EM HD!

31/03/2021 - 19:42h. • Inserir comentário  

Boas;

Sempre estudei uma forma de aumentar a resolução dos jogos antigos. Principalmente a trilogia inicial de Resident Evil. Conversei com vários romhackers de renome, mas ninguém sabia como fazer isso de forma eficaz.
Eu praticamente já tinha abandonado a ideia e minha principal aposta era em refazer o jogo numa engine atual, como a Unity - onde está sendo desenvolvido o Rebecca's Way -  por exemplo.
O grande porém disso é o tempo hábil para fazer um trabalho desse porte. Sem contar que, por mais capricho e cuidado que tenhamos, nunca fica exatamente igual. Uma troca de engine é sempre - sempre - traumática!
Eis que apareceu um pessoal que descobriu uma coisa inusitada, apesar de estar disponível já há mto tempo e ninguém tinha 'se ligado' nisso: O emulador de Gamecube, chamado Dolphin, permite que vc extraia as testuras de qualquer jogo e as substitua por qual você quiser. Na prática isso resultou na versão HD SEAMLESS, um belo trabalho feito por eles, que deixou os jogos em versão HD. A questão agora seria a seguinte: "Como usar de romhacking no Gamecube, para termos uma versão 100% traduzida em pt-br, por quem conhece a história do jogo e ainda em alta definição?"
É claro que o CT-STARS se posicionou no cenário exatamente como faria o grande e polêmico Barney Stinson: "Challenge accepted!" ou "O desafio está aceito!" mesmo sem antes saber se realmente poderia ser feito. A grande questão é que "Sempre dá!", basta você descobrir o quanto está disposto a dispender para que o trabalho seja feito. É por isso que as traduções do CT-STARS sempre estiveram à frente das outras. Porque primeiro aceitávamos o desafio e só depois íamos atrás de como fazer.
Bom, pela imagem acima mais a da última postagem, é possível perceber que o trabalho será feito. E o desafio concluído com sucesso!

Ps.: Sim, estou apaixonado por RE3 novamente e por esse menu em HD. Não, não consigo parar de falar nisso...

Grande abraço!


Flag

"NãO Há NADA ESTRANHO."  

Não há nada estranho nesta frase.

Quando eu traduzi o primeiro Resident Evil, lá pelo início dos anos 2000, optei por traduzir "There's nothing strange here" como "Não há nada estranho aqui". Depois fiquei com a sensação de que deveria corrigir tudo, já que pela lógica, se não há nada, quer dizer que há alguma coisa. Uma negativa anula a outra. Assim como na fórmula matemática, (-) + (-) = (+). Porém, acabei deixando pra lá esse assunto controverso.
Os anos passaram, as coisas mudaram na nossa língua - tiraram os tremas, alguns acentos e etc - porém a minha dúvida permanecia: Devo corrigir?
Hoje resolvi pesquisar e encontrei dois artigos que falam sobre isso. O primeiro, de um professor de português lá de Portugal chamado Marco Neves [certaspalavras.pt] onde ele diz que chega a ser feio quando tentamos escrever "Há nada errado". Que apesar de correto, a outra forma não deve ser descartada e é até mais bonita visualmente.
Outro site que cita o tema é o ciberduvidas.iscte-iul.pt/. Este é ainda mais incisivo ao colocar que idiomas como o latim e o inglês são mais rígidos com este caso, mas o português, assim como o romeno e o francês, permite duas negativas para construir uma mais completa.
Sendo assim, até que seja convencido do contrário, não há nada estranho em deixar nossa tradução assim! : )

Ps.: A imagem é da versão HD SEAMLESS para Gamecube com tradução para o pt-br, que estamos adaptando da nossa versão de PC.

Abraço!


Flag

UM NOVO CENáRIO EM UM CENáRIO DESGASTANTE  

Boas;

Parece um título estranho, porém tem lá seus motivos.
A alegria de criar um novo cenário [em um jogo] é quase indescritível. Você poder ver uma personagem que curte, em um local que você mesmo criou, dentro de um jogo que tanto idolatra, é algo no mínimo amável, pra quem gosta de modificações e de se sentir parte integrante de uma série.
Tudo o que faço desde os primórdios do romhacking é baseado em paixão. Nunca cobrei por algo que fiz nesse meio. Nunca tive sites com propaganda [salvo um mês de renovação em 15 anos de história] e nunca trabalhei com Patreons, Padrins, Tiozins e etc. Não é algo que eu seja contra, eu só não gosto de entrar em sites que tenham propaganda. Então, nada mais óbvio do que 'o meu' também não ter. É mais ou menos aquela premissa do "não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você". Porém - novamente - não sou contra isso. Acredito que cada um deva fazer as coisas da forma que melhor lhe convier. E o grande problema está aí!
O cenário romhacking [cenário = pessoas do meio romhacker] vem tendo atitudes estranhas desde que se iniciou. Parece que uma corrida por titularidades vem crescendo, devido a egos inchados e corações infláveis. O CT nunca cobrou créditos pro seus trabalhos - mesmo que eu ache um absurdo sem precedentes, você pegar o trabalho de alguém, modificar a cara dele e lançar como seu. Aqui neste grupo já fomos alvo das maiores atrocidades já vistas em relação a falta de créditos. Para se ter uma ideia, a maior parte destas versões de Resident Evil em português e 'aportuguesadas' que estão disponíveis pela internet afora, saíram de trabalhos originais do CT-STARS. Muitas em outros idiomas, como Russo e Árabe, também. Eu nunca fui atrás de crédito por isso. Não acredito em retaliação. Acredito em Lei do Retorno. E não na parte da vingança e sim na parte que diz que você recebe de acordo com o que faz. Então, de uma forma ou de outra, o reconhecimento sempre acaba vindo. E pra quem não cobra pelos seus trabalhos, o reconhecimento passa a ser a moeda mais valiosa em todo o processo.
Então quando você se deparar com um trabalho bacana por aí, seja ele qual for, procure saber quem o fez. Envie um comentário ou um agradecimento. E tenha a certeza de que você fez alguém muito feliz.
O dinheiro paga a alimentação do corpo. O reconhecimento satisfaz a alma!

Grande abraço!


Flag

REBECCAS ESCAPE - O PRIMEIRO CENáRIO  

Este cenário foi divulgado a primeira vez cerca de 11 anos atrás.
Em um mundo onde o romhacking ainda era novidade, Resident Evil tinha recém ganhado seu 5º título numerado e os fãs ainda tinham um certo respeito entre uns e outros, o CT-STARS divulgava seu mais recente - e audacioso - projeto. Resident Evil: Rebecca's Escape tinha como pano de fundo a história original de Resident Evil 3, vista pelo ângulo de Rebecca Chambers, a recruta até então desaparecida da série. Muitos, inclusive, a davam como morta nos incidentes de Julho de 1998, na mansão Spencer. Este Flag que vos fala sempre defendeu a sobrevivência dela, em teoria baseada em um file de Resident Evil 2, onde é falado que os sobreviventes dos eventos eram Redfield, Valentine, Burton, Chambers e Vickers.
Ora, se Rebecca sobreviveu ao incidente da mansão, onde ela estava quando Jill Valentine saiu da cidade em Resident Evil 3? Sabemos que Chris estava na Europa. Claire e Leon tinham acabado de sair, um dia antes. Barry estava igualmente fora [spoiler: tendo voltado para salvar Jill]. Brad morre na frente de Jill, pelo Nemesis [esqueçamos o remake/reimaginação]. E Rebecca foi, simplesmente, esquecida.
Baseados nisso tudo, resolvemos tentar imaginar o que teria acontecido com ela, criando uma história fictícia - porém - sem inconsistências com o canon da série.
A história-base sempre existiu. O roteiro não.
Como esta parte não evoluía, acabei decidindo por mexer em alguns cenários e na própria personagem. Rebecca, então, apareceu neste terraço do RPD. É um cenário montado a partir de fragmentos do RPD, utilizando o céu de Raccoon City em Resident Evil 3.
Apesar de já terem se passado 11 anos, lembro nitidamente das reações dos fãs, extremamente positivas. Afinal, ninguém - ou quase ninguém - tinha feito um cenário novo até então. E com estas características, ainda não existia. É claro que algumas pessoas preferiram focar na personagem e na forma básica dela. Isso não incomodou muito, na verdade. Os retornos positivos eram tão animadores que as negatividades passaram quase que despercebidas.
Depois disso a coisa evoluiu rápido. Tivemos a entrada do Arcano e depois do Jusé no design de cenários, o que levou o jogo a outro nível visual.
E aí a coisa realmente explodiu [figurativa e literalmente].
Porém, isto é assunto para a próxima postagem.
 

PROJETO RE: RW E OS TESTES COM UNITY WEBGL  

Criamos uma build do projeto Rebecca's Way para testar as funcionalidades do WebGL, uma espécie de  plataforma para jogos, como se fosse um Playstation ou XBox. O jogo roda diretamente no navegador de internet e fica hospedado em um servidor próprio.
Nos divertimos muito vendo a Rebecca andando pelo novo cenário [que dizem lá pelos lados dos Burns, que servirá de tela do menu inicial] e dando uns tiros em vasos, que ricocheteiam, e em zumbis que gemem e brotam itens quando morrem.
Tudo ainda está em fase inicial de testes, mas admito que foi uma sensação ímpar e incrível ver o jogo finalmente rodar, de forma satisfatória e extremamente linda, mesmo que ainda em uma plataforma que preza pela rapidez.
Isso me faz pensar o quão lindo esse jogo ficará quando tiver uma build para PC!
Quem sabe isso acontece muito em breve!

Grande abraço!


Flag


As postagens mais recentes do Forum

cialis soft tabs 10 mg
Última postagem em 10/05 por Visitante
Ferramentas de modding (Resident Evil 3)
Última postagem em 20/06 por Visitante
Nota sobre Carlos Oliveira
Última postagem em 23/02 por TheMitoSan

Você pode ser um VIPsitante [visitante cadastrado] no CT-STARS e ficar por dentro do mundo de Resident Evil.

Todos os trabalhos do CT são gratuitos. Não temos publicidade, não pedimos doações e não vendemos nossos trabalhos.
Os dados que você precisará preencher serão apenas um Nome ou Apelido, um e-mail para contato e criar uma senha de sua preferência.
Cadastrar e ficar por dentro